quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Impressões de Paris – parte 03: Paris é tensa

A mais tradicional imagem de Paris é a de cidade romântica. Inúmeras pontes sobre o rio que divide a cidade, passeio de barco, cafés, bistrôs... A cidade é praticamente um cenário para que os casais possam andar de mãos dadas, apreciando a arquitetura (bege!), monumentos, parques e, porque não?, estações de metrô.

O fato é que, se no passado a cidade foi um marco com casais se beijando pelas ruas, em uma época em que isso causava certa transgressão social, se havia demonstrações explícitas de romantismo no ar (sobretudo por ser o berço dos movimentos literários que estimularam as demonstrações dessa natureza), hoje é uma cidade como todas as outras, com pessoas apressadas, indo e vindo do trabalho. E com turistas. Milhares deles.

Sim, a cidade é bela, mas o tão falado romantismo não está, de fato na cidade: está em nos turistas que buscam o romantismo por lá. Sim, o cenário é cinematográfico, mas houve uma construção para que ALI fosse tido como romântico. Há umas centenas de cidades na Europa com características semelhantes, mas a literatura e cinema construíram aquela imagem da Paris e todos nós compramos a ideia sem questionar.

O parisiense é um cidadão inquieto, apressado e barulhento. Como dito, ele precisa ir ao trabalho, precisa pagar contas, pegar filas, enfrentar metrôs, assistir aulas. O dia-a-dia dele é igual ao meu e ao seu. Não existe, para ele, essa suposta aura romântica no ar. Mas existem os milhares de turistas pela cidade (sendo que muitos deles são mal educados ao extremo). O trânsito é caótico e, em que pese sejam os motoristas educadíssimos com os pedestres, nunca se incomodam em “pregar a mão” na buzina do carro. Pouco importa o horário, frise-se.



Enfim, a cidade não é romântica, mas as pessoas são românticas na cidade. Aproveitam que ela ajuda e se deixam fluir naquilo que foi um “constructo” mental, trabalhado na literatura e no cinema, e se entregam a um sentimento que existe nelas e que projetam na cidade. (mas poderia ser Bruxelas, Amsterdã, Oslo, Veneza, etc, etc, etc, etc...)

Paris é linda.

2 Comentários:

Blogger Marinês Parra Turcato disse...

E a parte final de Paris?

4 de janeiro de 2012 03:25  
Anonymous Leila Brito disse...

Caro Xisto,

gostei tanto mas tanto de suas crônicas sobre Paris - as três, que abri mão de escrever sobre a cidade e no post onde a homenageio dentro do meu projeto literário "Crônicas de Viagem" (que retrata as experiências vividas na minha viagem à Europa em 2008), postei-as com o devido respeito ao Direito Autoral, apresentando este maravilhoso cronista mato-grossense aos meus leitores do Chá.com Letras. Você encantou-me!
Parabéns pelo seu trabalho e pelo blog que tem semelhanças com o meu - a afinidade de abordagem é total.
Confira as suas crônicas em meu blog-site:
www.chacomletras.com.br,
no post "Vídeo em Destaque (Paris)", postado ontem.

Abraço,
Leila Brito

8 de março de 2012 05:33  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial